O termo latino Sapere Aude - Ouse Saber - traduz a essência de todo conteúdo deste blogger. Nosso desejo, aqui, é ajudá-lo a mergulhar em ideias que produzam um bem estar de prazer nesse imensurável mar de conhecimento. Logo, contribuiremos da melhor maneira possível para que indivíduos sejam “libertados das suas cadeias e curados da sua ignorância” – como imaginava Sócrates. Portanto, saia da caverna, AGORA, e aproveite o máximo que puder. Um abraço...

FlashVortex.com

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Sócrates - Um filme de Roberto Rossellini


Do consagrado diretor italiano Roberto Rossellini, Sócrates (Socrate, 1971), o filme, trás em seu elenco principal: Anne Caprile como Xântipe, Beppe Mannaiuolo no papel de Apolodoro, Ricardo Palacios como Critão, Emilio Miguel Hernández como Meleto e, por último, Jean Sylvère interpretanodo Sócrates. O filme começa já, desde o início, evidenciando o contexto histórico, em que viveu um dos mais célebre filósofos da antiguidade - Sócrates (470 - 333 a.C.), como pano de fundo para introduzir as questões políticas, sociais e filosóficas na cidade de Atenas. Em uma batalha entre Esparta e Atenas, está sai derrotada e a mando de Lisandro, tirano espartano, ordena
que derrube seus muros. Com a ascensão, Esparta passa dominar politicamente a Atenas impondo as suas regras e métodos de julgamento. E é neste contexto conflituoso que viveu o filósofo Sócrates. O diretor, Rossellini, didaticamente, traça por meio de três principais obras de Platão (428 a.C. - 347 a.C.), discípulo de Sócrates, os últimos passo de seu Mestre, suas ideias, seus discípulos, sua posição diante dos homens, sua condenação, sua morte e, principalmente, a sua filosofia. São elas: A Apologia de Sócrates, obra que trata do discurso de defesa do filósofo,  Crítão, obra esta cujo conteúdo revela a tentativa do seu discípulo Critão para que seu mestre fuja da prisão e, por último, Fedón. Está trata das últimas doutrinações do filósofo antes de tomar da cicuta, bebida destinada à morte, por ordem do Estado. A figura do Sócrates de Rossellini é a de um mestre centrado, de uma voz firme, de um olhar misericordioso e, sobretudo, de um verdadeiro amante da sabedoria. O diretor fez questão
de pontuar passagens de extrema relevância no discurso do filósofo: como o diálogo dele em meio aos seus discípulos e aos demais atenienses que  demonstravam uma ojeriza as suas ideias. Eis, então, o teor do discurso: "Consideremos todas as opiniões mesmo que não concordemos com elas. O que me importa é estar de acordo comigo mesmo e nunca fazer o contrário daquilo que penso. (...) O que eu sei mais do que os outros? Eu sei que nada sei". Para Sócrates o verdadeiro filósofo é aquele que julga nada saber. Dessa forma, reconhecendo a sua ignorância, abre- se um leque de possibilidades para vislumbrar outros níveis de conhecimento. Uma vez descoberto o que se procura, logo, acabar-se-à o desejo de buscá-la. Portanto, o prazer para o filósofo não está no desvelar da coisa, mas na busca incessante do objeto em questão. E é neste ritmo que o mestre vai impondo o seu método no intuito de conduzir os homens ao conhecimento sob a luz da filosofia. Sócrates não era bem visto pelas autoridades políticas da época, pelo fato de não concordar com seus interesses pessoais. Esse foi um dos motivos para eregir uma
condenação afim de calar a sua voz. Não disposto a aceitar as ordens arbitrárias do sistema, Sócrates é condenado pelo Estado à morte sendo acusado de não acreditar nos deuses da cidade e de corromper a juventude. A condenação foi imposta. Sócrates foi obrigado a beber da cicuta sem hesitar, pois para o filósofo a morte não deve ser encarada como uma mal em si, mas como um meio para alcançar o Bem, ou seja, a eternidade. O outro meio seria pelas ascese filosófica. A renuncia das paixões e a busca pela pela sabedoria por via da abstração do pensamento. Portanto, mergulhando nesta trajetória da vida e  morte de Sócrates, percebemos como o Estado, no uso de sua força, tenta por meio dos seus tentáculos coordenar os nossos passos. Ter os indivíduos como objetos de manobra e, conseqüentemente, negá-los a oportunidade para o conhecimento é o meio mais fácil para a escravização das consciências. Indiferente a tudo foi Sócrates e a sua filosofia. Daí, então, a sua desumana condenação. Eis uma obra que não pode faltar na casa de nenhum estudante seja ele de que área for. Espero que tenham gostado e até a próxima.

Veja, também:
Sócrates: A Vida Examinada - O que é Filosofia?

Sócrates (1971) - Filme Completo

7 comentários:

  1. Com certeza vou ver o filme, ainda mais sendo dirigido pelo mestre Rossellini! Obrigada por disponibilizá-lo.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo, que maravilha este filme,sou fascinada pela história e ensinamentos do nosso grande mestre.
    Você sempre nos passado grandes tesouros...
    Luz
    Ana

    ResponderExcluir
  3. Rapaz, taí uma grande sugestão! Reúne História com alta qualidade artística (o nome Rosselini fal por si só). Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Baita clássico dos anos 70. Ainda não assisti nenhum filme do Roberto Rosselini acredita? Talvez assista este no final de semana. Gostei muito da dica. Abraços.

    ResponderExcluir

Fugitivos da caverna comentam, aqui: